Ganhadores da promoção Pex se casam em Campo Grande


20 Fevereiro 2018

Cris e Loivo  foram os vencedores do concurso Transformando Namorados em Casais, que aconteceu em junho de 2017 na Pex. Além de serem premiados com os convites de casamento e placas para festa, a história do casal também emocionou uma equipe de fornecedores que se mobilizaram para que os noivos tivessem uma festa inesquecível. “É muito gratificante saber que uma iniciativa nossa, tenha gerado uma corrente de solidariedade para celebrar o amor”, comenta a responsável pelo concurso cultural da Pex, Glaucia Guerra. Conheça a história desse casal através do texto de Paulo Victor, autor do blog Vestidos pra Casar.
 
 
Cris & Loivo: quando o amor fala mais alto
 
Quando o amor acontece, ele não olha as circunstâncias. E é assim a história do casal Cris e Loivo, um amor puro, leve e companheiro. Eu conheci a história dos dois em maio de 2017, quando fui convidado para ser jurado de um concurso cultura realizado pela Gráfica Pex. No concurso casais que tinham o sonho ou plano de casar mandavam suas histórias e concorriam a confecção dos convites de casamentos.
 
Conforme estava previsto, recebi todas as histórias e a primeira que li foi a história de Cris e Loivo. Posso dizer que foi amor à primeira vista? É foi! Me emocionei com cada palavra e detalhe e depois de terminar eu tinha certeza que eles seriam os ganhadores. Acompanhe abaixo o relato escrito por Cris para o concurso.
 
“Em 2008 fui trabalhar em uma rede de supermercados aqui de Campo Grande e lá conheci um rapaz que comecei a namorar, porém o namoro não durou um mês. Nesse tempo fui apresentada ao amigo desse namorado, o Loivo. Com o término do namoro com me aproximei do Loivo, que acabou se tornando meu melhor amigo. O Loivo, tinha uma paixão na região sul do país, pediu as contas do trabalho e resolveu ir embora. Mesmo com toda a amizade que sentíamos um pelo outro, havia uma atração por ambas as partes e então restando dois dias para sua partida, nós ficamos pela primeira vez. Fiquei triste com sua partida, pois estava indo embora meu melhor amigo e o homem pelo qual havia me apaixonado. Após alguns meses ele me chamou no messenger e disse que iria voltar, fiquei feliz e alguns dias depois ele voltou para Campo Grande, magoado e cheio de raiva, dizia que nunca iria se casar.
 
Então comecei a faculdade, continuamos ficando algumas vezes, mas apenas como uma “amizade colorida”. Em 2013 tive uma infecção no osso do pé esquerdo, parei no hospital quase sem vida e minha mãezinha infelizmente já debilita, pois tinha feito três pontes de safena, estava internada também e fazendo sessões de hemodiálise. Fizeram uma amputação de emergência no meu pé, eu sofri muito, mas meu médico e sua equipe sempre me afirmaram que eu poderia colocar uma prótese e voltar a andar. Fiquei internada quase três meses e o Loivo sempre ia me visitar. Minha mãezinha quando soube da amputação ficou muito triste, trouxeram ela para me ver no hospital, como foi maravilhosa aquela visita. Voltei para casa numa cadeira de rodas, tinha que me cuidar e cuidar da minha mãe que fazia hemodiálise três vezes por semana.
 
Me formei em 2013 em Publicidade e Propaganda, fiz o discurso de agradecimento na cadeira de rodas mesmo, que dia mágico. Em fevereiro de 2014 minha mãe faleceu, sou filha única de pais separados, me vi morando sozinha, tive medo, desejei a morte todos os dias, fiquei depressiva, com síndrome do pânico e crises de ansiedade. Fui parar na UTI por vomitar sangue, achei que ia morrer e me arrependi de ter pedido a morte, me recuperei e voltei a falar com o Loivo.
 
Em 2015 comecei a fazer hemodiálise, chorava em todas as sessões, morando sozinha, me adaptando a minha nova vida, fazendo fisioterapia para colocar a prótese e praticando tiro esportivo adaptado. Eu e o Loivo conversávamos diariamente pelo WhatsApp e ficávamos às vezes, nada sério. E o tempo passou e alguns “ficantes”, amores e paixões passaram pela minha vida. Um dia me sentindo muito sozinha pedi a Deus alguém para eu amar e ser amada e que gostasse de mim como sou, nessa minha oração imaginava onde estaria esse amor.  Será que pensava em mim também? Foi então que o Loivo começou a me visitar com mais frequência que o habitual e passaram-se alguns dias e ele me pediu em namoro. Fiquei surpresa! Ele disse que nunca iria namorar sério ou se casar. Com certo receio aceitei, porém era mais um namoro a distância, pois ele tinha a casa dele, trabalho e faculdade, só nos víamos aos finais de semana, minha saúde não estava muito bem, tive crises de ansiedade e confesso que fiquei com medo dele me deixar, pois eu vomitava muito nessas crises.
 
No início de 2016, devido às crises, fui várias vezes parar no hospital, e o Loivo sempre ao meu lado segurando minha mão e dizendo que tudo iria passar, que eu iria ficar bem, que me amava e estaria comigo até o fim. No dia 04/06/2016 durante um almoço com as nossas famílias ele me surpreendeu com o par de alianças e o pedido de casamento.”
 
Emocionante né? E esse casamento aconteceu de forma que eles nunca imaginassem. A história chegou ao conhecimento da repórter Jacklin Andreucce e ela resolveu mobilizar um time de fornecedores para realizar o sonho dos dois. “A história da Cris chegou pelo WhatsApp das mulheres com deficiência. Ela contou a história dela e chegou para mim pela minha irmã que faz parte do grupo. Como tenho acesso aos fornecedores e trabalho com a TV, resolvi pautar a história e convidar os parceiros para ir além disso, ajudar a realizar o sonho.” conta Jacklin.
 
E um time de fornecedores se mobilizaram para fazer acontecer esse casamento. No dia 27 de julho de 2017, Cris e Loivo foram convidados para participarem de um programa da Rede Record com intuito de contar a história do casal. Chegando lá eles foram surpreendidos com a participação dos fornecedores dizendo que iam realizar o sonho deles com uma festa com tudo que tinham direito.
 
E o casamento aconteceu no dia 15 de dezembro de 2017. Foi pura emoção! Cris realizou mais um sonho, pode entrar andando com ajuda de uma prótese. Não teve quem segurou as lágrimas.
 
 

 





Precisando de um Orçamento

ENTRE EM CONTATO